quinta-feira, outubro 06, 2005

“La demoiselle d'honneur” (2005), Claude Chabrol



Até que a morte os separe

Claude Chabrol, cineasta da chamada “Nouvelle Vague” do cinema francês, apresenta-nos um novo filme que, tal como o seu anterior “La cérémonie”, é inspirado num romance de Ruth Rendell.

“La demoiselle d'honneur” conta-nos a história de Philippe (Benôit Magimel) que no casamento da irmã conhece uma das damas de honor, Senta (Laura Smet), pela qual se apaixona.
Senta, jovem misteriosa, faz com que o até então razoável Philippe perca a noção do que é considerado aceitável e normal. Com ideias bastante romanescas e obsessivas do que é o amor, ela defende que a prova máxima de amor é matar outra pessoa.
É com estas ideias que Philippe acaba por perder a razão e sucumbir à sua paixão que declara como eterna.

Chabrol procurou criar um filme que reúne o thriller, mistério e romance e o resultado foi bom. Dissecando uma família burguesa igual a tantas outras, Chabrol focou sobretudo a sua câmara num romance com contornos pouco convencionais e bastante fatalistas.
É a partir do momento em que Philippe e Senta se apaixonam e começam a sua relação extremista que o filme começa a ganhar intensidade e interesse.

O par de actores está bastante bem, principalmente a estreante Laura Smet que cria uma Senta como o argumento requer: misteriosa e perturbada.

* * *

3 comentários:

Julio disse...

so 3? gostamos bastante n venhas com coisas :P
****

Joana C. disse...

mas eu já te tinha dito que ia dar 3 :P o filme é bom sim,mas acho que não é tão bom ao ponto de dar 4.
***

Julio disse...

Ah, pois foi.Nao me lembrava. Mas foi um filme bom! Ah, dai o 3! lol Amot.