segunda-feira, junho 12, 2006

“Le temps qui reste” (2006), François Ozon



O tempo que acaba

Romain (Melvil Poupaud) é um bem sucedido fotógrafo de moda que de repente vê a sua vida estável e em franca ascensão dar uma reviravolta: um cancro em fase terminal é-lhe diagnosticado. O médico prevê apenas três meses de vida para Romain que, nesse espaço de tempo, vai render-se ao inevitável fim prévio da sua existência.

Conhecido principalmente após a obra “8 Femmes”, François Ozon é daqueles realizadores que muda de estilo e temática em cada filme que faz.
Em “Le temps qui reste”, Ozon concentrou-se no tema da morte e nas consequências devastadoras que isso trás à pessoa que vê a sua vida acabar antes do tempo.

A personagem central do filme é um jovem que tinha tudo: uma boa casa, um emprego promissor, uma relação amorosa estável…mas de que lhe serve isso tudo quando descobre que sofre de uma doença que lhe permite viver apenas por mais uns meses?
Romain, após conhecer o seu fatal diagnóstico, não faz grandes planos para desfrutar esses meses que lhe restam. Muito pelo contrário, ele pretende apenas saborear alguns prazeres simples de forma a despedir-se da vida: uma visita à sua avó (a única que sabe da sua doença), um último encontro com o namorado, um “favor” que faz a uma mulher que pretende engravidar…assim são os últimos dias de Romain.

A entrega total de Melvil Poupaud à sua personagem é bem visível. A transformação que se vai operando em Romain não é só perceptível a nível físico mas também a visualizamos através da amargura e fragilidade sentimental, que vai sofrendo dia após dia.
“Le temps qui rest” é uma das melhores obras estreadas este ano em Portugal, com um tema bastante delicado e dramático como só a morte antes do tempo pode ser.

* * * * *

8 comentários:

Júlio disse...

Que grande filme. 5*

H. disse...

Tb acho que é 5 estrelas, não tenho mesmo dúvidas. Até agora está no meu top 3 deste ano...

É de uma humanidade arrepiante, não cai em sentimentalismo e no entanto tem um turbilhão de emoções...

Mas o François Ozon já era conhecido antes do «Swimming Pool», por exemplo pelo «8 Femmes», que recomendo bastante, onde ele reuniu um conjunto de actrizes franceses geniais e construiu um delicioso musical/filme negro :)

Jorge M. disse...

Então, então...Só para não restarem dúvidas, podias pôr a classificação em estrelas...Foi engano ou propositado?

Joana C. disse...

Júlio - bem sei que também gostaste muito do filme ***

h - tens toda a razão quanto ao "8 Femmes" só que eu pensava que esse era posterior ao "Swimming Poll", vou já alterar.

jorge m. - foi esquecimento mesmo. é 5 estrelas :)

gonn1000 disse...

Gostei, mas falta-lhe algo para a perfeição e o subplot com o casal não é muito verosímil.

Mário Lopes disse...

Gostei, mas não tanto como tu.

Bjs

Nobody's Bitcho disse...

O filme é deveras muito bom. É uma das próximas compras a fazer em dvd ;)

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! video editing schools