quarta-feira, dezembro 20, 2006

“Thank you for smoking” (2006), Jason Reitman



Michael Jordan plays ball. Charles Manson kills people. I talk. Everyone has a talent.

Nick Naylor (Aaron Eckhart) é um lobista que trabalha para a empresa Big Tobacco. É odiado por muita gente uma vez que o seu trabalho consiste em defender as empresas tabagistas e os milhares de fumadores do mundo inteiro. Intitulado de assassino de massas e sanguessuga, Nick é um homem que adora o seu trabalho desafiador e que acredita que o seu dom é falar.
Quando o senador Finistirre (William H. Macy) e os extremistas da saúde pretendem colocar rótulos nos maços de tabaco com a indicação de veneno, Nick vê-se imbuído numa missão que pretende devolver aos cigarros o seu estatuto de estilo e glamour, como sucedia na época áurea do cinema clássico americano.

“Thank you for smoking” tem a seu favor um brilhante argumento, adaptado do livro homónimo de Christopher Buckley. O assunto retratado é delicado mas este filme aborda-o dum ponto de vista satírico e oposto ao habitual: o “herói” do filme é o manipulador que ganha a vida a defender um produto que mata milhares e milhares de pessoas todos os anos. Mas é impossível não nos rendermos ao discurso impecavelmente bem articulado de Nick Naylor, por muito que sejamos contra o tabaco.

Nesta comédia satírica que pretende, de certa forma, ridicularizar a perseguição a que os fumadores estão sujeitos nos dias de hoje, o poder da palavra é a questão fulcral.
Provocatório e inteligente, assim podemos definir “Thank you for smoking”.

* * * *

2 comentários:

Júlio disse...

Alguns pontos de argumentação interessantes! lol

"Por ano morrem milhares de pessoas a conduzir... Vamos impedi-las de conduzir?" :P

Joana C. disse...

Júlio: é exactamente esse tipo de argumentos que o protagonista utiliza :P