segunda-feira, janeiro 02, 2006

“Shopgirl” (2005), Anand Tucker



Are you the kind of person that takes time to get to know, and then once to get to know them... they're fabulous?

Mirabelle (Claire Daines) é uma jovem empregada de um armazém de luxo que deseja ser artista mas que anseia sobretudo encontrar alguém para partilhar a sua existência vazia e solitária.
Aparecem então dois homens na sua vida, um o oposto do outro: Jeremy (Jason Schwartzman) é um jovem tímido e desajeitado, ainda com os tiques todos de um adolescente pouco conhecedor das lides românticas; Ray Porter (Steve Martin) é um homem maduro, com uma carreira de sucesso e que procura apenas uma companhia sem compromissos sérios.
Mirabelle opta pela segurança de Ray mas vai perceber rapidamente que os dois não querem a mesma coisa.


Fugindo de um típico triângulo amoroso, “Shopgirl” segue a vida angustiada e depressiva de Mirabelle que, até no seu emprego (numa loja, onde supostamente comunicaria com muita gente), se sente solitária. Toma anti-depressivos para não sucumbir de vez numa tristeza profunda pois a sua vida não passa de um conjunto de momentos entediantes e infelizes.
Jeremy aparece na vida de Mirabelle e com ela tem uma fugaz e rápida relação pois Mirabelle pretende algo de mais de um homem. E esse “algo mais” é personificado em Ray, um homem que lhe parece perfeito. Mas as coisas complicam-se quando Mirabelle percebe que não passa de um objecto sexual para este homem rico e solitário.
Os dois interpretam de maneiras diferentes a sua própria relação e, por essa mesma razão, o desencanto era mais que esperado.

“Shopgirl” é um olhar dramático sobre as relações modernas.
Há um elemento unificador entre estas três personagens, apesar de todas as visíveis diferenças: a solidão.
O filme roda em torno de visões isoladas destas pessoas que acabam por se encontrar umas às outras, no meio da multidão de Los Angeles.

Claire Daines é encantadora ao encarnar a fragilidade emocional de Mirabelle; Steve Martin (a quem este filme se deve uma vez que é a transposição para cinema de um romance seu) é galante e sedutor; Jason Schwartzman é adorável ao interpretar um jovem desengonçado mas com um enorme carinho e dedicação por Mirabelle.
“Shopgirl” (traduzido para português da pior maneira possível) é um filme sobre o amor que tem muito mais para oferecer do que apenas uma história simpática. Aqui, há muito mais que isso.

* * * *

7 comentários:

H. disse...

Bem...devido à falta de tempo este tinha sido sacrificado para ñ ver no cine. Devo dizer que ao ler o que escreveste repensei a minha posição. Vou vê-lo esta semana antes q saia dos cinemas! =)

Daniel Pereira disse...

A surpresa do ano!

Joana C. disse...

Lost in Space: é um filme muito bonito, não deixes de o ver ;)

Daniel Pereira: Uma bela surpresa, sem dúvida.

Júlio disse...

yeah, sure... What?

Júlio disse...

N fiques a pensar outra coisa, o comment era a resposta q ele deu à tua pergunta no título :P
Achei o filme muito bom também... amt

Joana C. disse...

Júlio: pois, já me explicas-te, lol. já tinha levado a mal :D
***

H. disse...

é, valeu a pena ir ver. se bem que foi uma pequena bomba emocional...
uma surpresa sem dúvida.
a lamentar só mesmo o título pt...